Mordomia no vestuário – parte 2

E ele, chamando-o, disse-lhe: Que é isto que ouço de ti? Dá contas da tua mordomia, porque já não poderás ser mais meu mordomo.” Lucas 16:2

Há alguns dias atrás, publicamos um post com o título “Mordomia no vestuário – parte 1”. Encerraremos, hoje, com a parte 2, uma reflexão acerca dos outros 2 aspectos da mordomia cristã – o Talento e o Tempo.

O que será que Talento e Tempo tem a ver com mordomia no vestuário?

Selecionei 4 pequenos fragmentos do Espírito de Profecia, para ajudar-nos nessa reflexão:

“A fala é um talento. De todos os dons concedidos à família humana, nenhum outro deve ser mais apreciado que o dom de falar. Deve ser usado para declarar a sabedoria e o maravilhoso amor de Deus. Assim devem os tesouros da Sua sabedoria e da Sua graça ser comunicados.” Conselhos Sobre Mordomia, p. 115

“A força é um talento, e deve ser usada para glorificar a Deus. Nosso corpo Lhe pertence. Ele pagou o preço da redenção tanto pelo corpo como pela alma. … Melhor podemos servir a Deus no vigor da saúde do que na apatia da doença; portanto, deveríamos cooperar com Deus no cuidado de nosso corpo.” Conselhos Sobre Mordomia, p. 115

“A influência é um talento, e é um poder para o bem quando penetra em nosso trabalho o fogo sagrado aceso por Deus. A influência de uma vida santa tanto é sentida no lar como em toda parte. A beneficência prática, a abnegação e o sacrifício próprio que assinalam a vida de um homem exercem influência para o bem sobre aqueles com quem este se associa.” Conselhos Sobre Mordomia, p. 115

“Há mães que gastam horas e horas em trabalho desnecessário com as suas próprias roupas e as de seus filhos, com o propósito de ostentação, e alegam então que não dispõem de tempo para ler e obter a informação necessária para cuidar da saúde de seus filhos.” Conselhos sobre Educação, p. 6

Os fragmentos de textos selecionados abordam 3 dos vários talentos que devem ser aplicados à obra de Deus – a fala, a força e a influência. Então eu pergunto: O nosso vestir tem sido coerente com a nossa fala? Falamos de Deus e de Seu amor, mas nos vestimos como o mundo? Até que ponto nossa fala pode deixar de ser um talento usado por Deus devido a forma como eu me visto? Minha roupa diz o mesmo que minha boca? Tenho usado roupas que colaboram para a preservação de minha saúde, para que minha força possa estar à disposição do Mestre? O meu calçado e minhas roupas não colaboram tanto para que o meu corpo esteja em pleno vigor? E que influência o meu modo de vestir exerce sobre as pessoas? Será que só de olhar para mim elas reconhecem uma serva do Senhor?

Muitas vezes, nossa roupa prega uma mensagem diferente daquela que deveríamos pregar com os lábios, e não é possível ser verdadeiramente cristão, sendo incoerente. Muitas vezes não estamos prontos para dizer “eis-me aqui” quando o Senhor nos chama, porque o calçado inadequado tem comprometido a saúde dos nossos pés, da circulação do corpo, da coluna… a roupa inadequada, escolhida pelos motivos errados, colabora para o desenvolvimento de doenças… e estamos constantemente impedidos de fazer aquilo que o Senhor nos pede, como Ele nos pede, pois sequer temos o vigor necessário. É sutil, mas nosso vestir inadequado é um fator limitador do avanço da obra através de nós.

E o que dizer do nosso tempo? Quanto dele temos empregado em ler sobre as últimas tendências da moda, pesquisar novos modelos e passear por shoppings experimentando dezenas de roupas? É mais agradável gastar tempo com esses assuntos do que estudando a palavra de Deus? Vestimentas, adornos, maquiagem e calçados ocupam mais sua mente durante o dia do que as verdades do Céu? Então algo está errado! Nosso tempo pertence a Deus, e o próprio Jesus disse: “Portanto, não se preocupem, dizendo: […] ‘que vamos vestir?’” (Mateus 6:31). Por que, então, ocuparmos tanto tempo pensando nisso?

Talvez você nunca tenha pensado em Mordomia dessa forma. Talvez você tenha se acostumado a devolver os dízimos, e sentir que cumpriu seu dever de mordomo diante de Deus. Mas Deus deseja que não apenas devolvamos os dízimos, mas que administremos com sabedoria tudo o que Ele nos confiou.

Que as palavras de Jesus para nós seja: “[…] Muito bem, servo bom e fiel! Você foi fiel no pouco; eu o porei sobre o muito. Venha e participe da alegria do seu senhor!” (Mateus 25:21).

Esse post foi publicado em Modéstia Cristã, Uncategorized, Vestuário. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s